Devocional Diário

quinta-feira, 21 de março de 2013

GERAÇÃO PROFÉTICA DE JOSÉ E SEUS SONHOS DIVINOS


Gênesis 37:5 Certa vez, José teve um sonho e, quando o contou a seus irmãos, eles passaram a odiá-lo ainda mais.

Como parte dos recursos que Deus nos dá em nosso destino, Ele coloca dentro de nós os Seus sonhos, sonhos proféticos, que na verdade são cenas do futuro que Aquele que era, que é e que há de vir viverá conosco em nosso futuro. Acolher os sonhos de Deus é abençoar o nosso futuro e entender a linguagem profética do Pai celestial. É também entender a natureza divina, Sua forma de comunicação; conhecê-Lo como Aquele que fala do futuro antes que ele seja presente, conhecendo-o com absoluta soberania e beleza. Esse é o meu Pai querido e belo!

Há muita segurança em nosso Pai quando sabemos que Ele tem todo o domínio sobre o futuro, e que só precisamos confiar em Seus planos e obedecer Suas leis e princípios de governo. Quando um sonho é sonhado pelo Pai, o filho pode ficar sossegado, confiante e seguro, pois ele será perfeito. Tudo já foi pensado, há nele toda sabedoria, inteligência, provisão, governo, tempo certo e sustentação necessária. Claro que tenho que trazer isso para o tempo, pois na eternidade a promessa já está pronta; nosso trabalho é exercer a fé no tempo e trabalhar esses elementos sabendo que estão disponíveis.

Pessoas boas experimentam coisas ruins. Mesmo alguém escolhido por Deus precisará sentir em sua alma o ódio de outros por um sonho que vem de Deus. Os piores sentimentos humanos podem ser como um veneno para matar um sonho, principalmente se eles vêm de pessoas próximas, a quem amamos. É preciso entregar nossa alma a Deus, para se apegar a Ele, pois do contrário a amargura que vem das flechas dos inimigos que perseguem a geração de José destruirá a nossa alma. Uma certeza é bem clara: há um lugar de conserto para os feridos pelo ódio; inimizades que vieram para destruir o sonho divino e roubar a herança. Há uma cena profética de conserto em Cristo que nos aguarda para tratar as feridas mais profundas.

A geração de José deve vigiar sobre a amargura e por isso deve ter sempre a couraça da justiça guardando o coração, a fonte da vida. Sonhadores são tentados a cultivar doenças nas emoções. Mas precisamos nos lembrar que temos escudos e broquéis que vêm antes da couraça e que precisam ser embraçados – uma atitude de guerra, defesa para avançar. Precisamos correr armados para o nosso destino, clamando Àquele que quebra o arco, despedaça a lança e queima os carros no fogo; carregando o nome do Senhor dos Exércitos e sendo liderados por Ele em nossas guerras de herança. Foi assim que José chegou ao trono de governo do Egito como semente da nação de Israel.

Sonhador, sobre tudo o que deves guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida e lá foram colocados os sonhos divinos do governo do Eterno sobre as nações, sim, a herança do Senhor. Deus te deu um povo para amares. Orar por esse povo é a tua herança; teu sonho divino é com esse povo. Tudo o que o inimigo quer é roubar a herança. Ele ataca o sonho para roubar a herança. Ele não quer te destruir, ele quer roubar a tua herança.

Hudson Medeiros

http://www.brasildejoelhos.com.br